quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

DIÁRIO DO NOVO LIVRO - DIA 2

www.franciscosalgueiro.blogspot.com

Como o género que livro que escrevo é sempre tão variado, não paro de ouvir as pessoas na rua aos berros, ansiosas de saber o que se passa nas 208 páginas escritas: "É uma história com zombies?", "É o Exorcista- o musical?", "Um manual de instruções de uma caneta de feltro?"

 

Não, desta vez é uma história de amor ("olha olha, outra" - foi o que o cão do meu vizinho acabou de dizer, mas sob a forma de latidos). Mas, não é uma história de amor qualquer. Se fosse uma de amor qualquer eu nem o colocaria à venda. Fazia umas impressões e dava, à borla, à porta do metro juntamente com o Destak.

 

Digo-vos que foi o único livro que escrevi que me fez chorar no final. Eu sei como é que o livro acaba, já o revi várias vezes, mas sempre que chego às últimas páginas, começo a chorar. Mesmo. Não sei se devo ir ao psicólogo ou para a Tailândia mudar de sexo.

 

E aqui chego a um problema. Se eu choro com o final do meu próprio livro, o que acontecerá com vocês? Sugiro que quando o começarem a ler, tenham por perto um alguidar para não molharem a casa e evitarem infiltrações no andar de baixo.

 

Por hoje é tudo. Amanhã cá estarei de novo, porque agora tenho de continuar a fazer a edição.
Enviar um comentário